Caiafarsa

Just another WordPress.com weblog

CONSTANTINO FOI O PRIMEIRO PAPA

Não sinta-se ofendido, pois não somos contra vocês mas somos contra os erros difundido mo meio protestante.

Somos caluniados nos cultos, nos chamam de idolatras injustamente, mentem, dizem que adoramos estatuas, mentem o tempo inteiro. Aqui é uma pagina para desmascarar estas mentiras.
Exemplo de como agem os protestantes em seus cultos no que tange ao catolicismo veja:

imagem

VEJA O VIDEO E COMPROVE PARA QUE O PROTESTANTISMO VEIO : http://www.youtube.com/watch?v=XBD2m_lrhsY

Convido você a conhecer a Igreja Católica e estudar sobre estes assuntos que postamos, e então você compreenderá que nossa luta não é contra pessoas, mas contra os erros difundidos.

Que Deus te abençoe


Autor: Rafael

I – A MENTIRA

1- “Pope Constantine was born Flavius Valerius Constantinus at Nis on Feb. 27, 280, in what is now Serbia, son of the commander Constantius Chlorus (later Constantius I) and Helena [...]. ” [O papa Constantino nasceu {como} Flávio Valério Constantino em Nis em 27 de fevereiro de 280, onde hoje é a Sérvia, filho do comandante Constâncio Cloro (posteriormente Constâncio I) e Helena {Santa Helena}...]

2- “Pope Constantine united Church and State.” [O Papa Constantino uniu a Igreja e o Estado]

II -ONDE SE ENCONTRA

http://www.reformation.org/meet_the_first_pope.html

III – A VERDADE DOCUMENTAL

Interpretando muito distorcidamente os textos de Eusébio de Cesárea e de outros historiadores do ou sobre o período de Constantino, os espertalhões do site concluem que Constantino foi o primeiro Papa e que uniu Igreja e Estado.

REFUTAÇÃO

Não cabe aqui citar novamente os textos patrísticos já expostos pelo Oswaldo e pelo Fernando em outros tópicos provando que já existiam Papas antes de Constantino. Aliás, se me for permitido o comentário, a tese do site é tão ridícula e eles nem ao menos tentam expor um argumento, simplesmente jogando a informação como certa.

Ora sabemos que Constantino I foi Imperador Romano e que ostentou, mesmo após a conversão ao Cristianismo, o título de “Pontifex Maximus” pagão, visto que não aboliu os cultos pagãos. Mas disto concluir que ele foi papa já é demais! Aliás, havia um papa nessa época, era São Silvestre I, que inclusive aprovou a reunião do Concílio de Nicéia convocada pelo Imperador Constantino, enviando como representantes papais dois clérigos.

Agora vejamos à segunda afirmação.

É errado dizer que Constantino uniu a Igreja com o Estado, visto que não tornou o cristianismo religião oficial do Império [tal fato só ocorreria posteriormente com o Imperador Teodósio I através de Decreto "Cunctos Populos"].

No Edito de Milão, Constantino concede apenas a liberdade de culto para os cristãos, baseado numa ética de tolerância, que o imperador julgava necessária à paz no império. No texto do Edito pode-se ler:

“Nós, Constantino e Licínio, Imperadores, encontrando-nos em Milão para conferenciar a respeito do bem e da segurança do império, decidimos que, entre tantas coisas benéficas à comunidade, o culto divino deve ser a nossa primeira e principal preocupação. Pareceu-nos justo que todos, os cristãos inclusive, gozem da liberdade de seguir o culto e a religião de sua preferência. Assim Deus que mora no céu ser-nos-á propício a nós e a todos nossos súditos. Decretamos, portanto, que não, obstante a existência de anteriores instruções relativas aos cristãos, os que optarem pela religião de Cristo sejam autorizados a abraçá-las sem estorvo ou empecilho, e que ninguém absolutamente os impeça ou moleste… . Observai outrossim, que também todos os demais terão garantia a livre e irrestrita prática de suas respectivas religiões, pois está de acordo com a estrutura estatal e com a paz vigente que asseguremos a cada cidadão a liberdade de culto segundo sua consciência e eleição; não pretendemos negar a consideração que merecem as religiões e seus adeptos. Outrossim, com referência aos cristãos, ampliando normas estabelecidas já sobre os lugares de seus cultos, é-nos grato ordenar, pela presente, que todos que compraram esses locais os restituam aos cristãos sem qualquer pretensão a pagamento… [as igrejas recebidas como donativo e os demais que antigamente pertenciam aos cristãos deviam ser devolvidos. Os proprietários, porém, podiam requerer compensação.] Use-se da máxima diligência no cumprimento das ordenanças a favor dos cristãos e obedeça-se a esta lei com presteza, para se possibilitar a realização de nosso propósito de instaurar a tranqüilidade pública. Assim continue o favor divino, já experimentado em empreendimentos momentosíssimos, outorgando-nos o sucesso, garantia do bem comum.”(CONSTANTINO E LICÍNIO. Edito de Milão)

Por fim cabe-nos perguntar se Constantino modificou de fato as doutrinas cristãs.

Parece-me fácil dizer que não, visto que a influência dos Imperadores nos assuntos religiosos era ínfima, bastando lembrar-nos que a corrente cristã apoiada por eles [arianista] foi considerada herética pelo Concílio de Nicéia. Entretanto Constantino não retirou o seu apoio aos hereges, o que lhe valeu a oposição de muitos bispos, entre eles Santo Atanásio de Alexandria, cujo papel no combate à política pró-ariana de Constâncio II (filho e sucessor de Constantino) será notória na história eclesiástica do século IV.

Uma coisa é certa, até mesmo Lutero reconhecia São Pedro como papa. Isso é claro na tese n.78.

“Dizemos contra isto que qualquer papa, mesmo São Pedro, tem maiores graças que essas, a saber, o Evangelho, as virtudes, as graças da administração (ou da cura), etc., como está escrito em I.Coríntios XII. ”

OSWALDO

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=30891250&tid=2536351200315975261

Cai a farsa

====================================

MUITO MAIS AQUI:

CONSTANTINO FUNDOU A IGREJA CATÓLICA?

.

313760_340075349447532_272527585_n

Written by caiafarsa

julho 27, 2007 at 5:39 am

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 187 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: